Sítio Terra Pura

"Espaço de florescimento do Ser".

Silêncio não significa simplesmente ficar quieto, parado ou inerte, mas aprender a interagir com as forças que transcendem nossa lógica ou concepção de Ser.


Silêncio significa ir a um lugar dentro de nós onde a identidade, as representações, formas, cores, sons e nomes tomam um sentido diferente daquele que concebe como tal.



Silêncio significa aprender a comungar e consagrar a paz definitivamente ou inevitavelmente como algo que mais cedo ou mais tarde, descobriremos, pois é algo inerente a natureza divina que habita dentro de cada indivíduo.



O Silêncio nos ajuda a perceber nossa respiração, o calor de nossos músculos, o consumo do oxigênio, a natureza de nossos pensamentos e suas conseqüências, o surgimento de uma emoção e suas alterações provocadas, nossas tendências, nossos medos, vícios, carências, hábitos, atitudes e prazeres.



O Silêncio não deixa de ser apenas um outra forma de som, mas seu ritmo provoca em nós certezas e seguranças capaz de promover a paz duradoura.

O PRIMEIRO TOQUE NA TERRA




Com gratidão, faço uma reverência a todas as gerações de ancestrais da minha família de sangue. Vejo minha mãe e meu pai, cujo sangue, carne e vitalidade estão circulando nas minhas próprias veias e nutrindo cada uma das minhas células. Por meio deles vejo meus quatros avós. Suas expectativas, experiências e sabedoria foram transmitidas por muitas gerações de ancestrais. Levo comigo a vida, o sangue, a experiência, a sabedoria, a felicidade e a tristeza de todas as gerações. Estou praticando para transformar o sofrimento e todos os elementos que precisam ser modificados. Abro meu coração, minha carne e meus ossos para receber a energia do insight, do amor e da experiência que me foi transmitida por todos os meus antepassados. Vejo minhas raízes no meu pai, na minha mãe, nos meus avós e em todos os meus ancestrais. Percebo que sou apenas a continuação dessa linhagem preciosa. Por favor, apóiem-me, protejam-me e transmitam-me suas energias. Sei que, onde quer que seus filhos e netos estejam, os antepassados também estarão. Reconheço que os pais sempre amam e apóiam seus filhos e netos, embora muitas vezes não tenham a capacidade de expressar esse sentimento da melhor maneira em razão das dificuldades que eles próprios enfrentaram. Sinto que meus ancestrais procuraram criar um modo de viver fundamentado na gratidão, na alegria, na confiança, no respeito e na bondade amorosa. Já que somos uma continuação deles, curvo-me em profunda reverência e deixo sua energia fluir por meu intermédio. Peço-lhes que me concedam apoio, proteção e força.









Thich Nhat Hanh



Adaptado por Barthô Nigro


Ancestralidade

Sobre mim

Minha foto
Barthô Nigro
É psicólogo e publicou trabalho junto a UFRPE sobre a influência da relação mãe/filho nas atitudes do indivíduo diante da natureza (1990). Estudou psicanálise dirigindo seu interesse para a psicologia junguiana (1994) onde buscou pesquisar a influência dos mitos pessoais na estrutura da nossa consciência e como esses mitos traçam o destino dos indivíduos e das sociedades. Junto a UFPE, buscou aprofundar a questão da transmissão da vida psíquica entre as gerações e qual sua função dentro da família. Através de sua prática, deu continuidade à sua pesquisa tendo como questão central à análise dos efeitos dos segredos e dos mitos na dinâmica familiar. Porém foi na convivência com o trabalho da “Constelação Familiar” que sua pesquisa e sua prática clínica convergiu para uma intervenção integral.
Visualizar meu perfil completo

Páginas

Livros que recomendo

  • "Quando Tudo se Desfaz" - Pema Chödrön

Seguidores